A produção de papel ainda é um tema bastante debatido no mundo devido aos seus impactos ambientais, sendo o principal deles a derrubada de árvores para extração da celulose. Comemorado no dia 27 de Outubro, Dia Mundial Sem Papel, o intenso consumo deste recurso e como é possível reduzir a utilização de algo que estamos tão habituados é debatido com ideias inovadoras.

Além de ser, em muitas situações, ineficaz ter amontoados de impressos e cópias, o gasto com materiais, a baixa produtividade e a grande burocracia que o papel traz são outros fatores relevantes na hora de deixar esse consumo de lado.

Coopers and Lybrand e a Gartner e PricewaterhouseCoopers realizaram pesquisas e mostraram estatísticas sobre o consumo de papel:

  • Um profissional perde até 50% do seu tempo de trabalho na busca por documentos que foram extraviados, armazenados em locais errados ou que, muitas vezes, não existem mais;
  • Cerca de 1 bilhão de cópias são feitas no mundo a cada dia, sendo que, em média, cada documento é copiado de 9 a 11 vezes;
  • O armazenamento de documentos custa em média R$50 por cópia e grandes empresas perdem documentos a cada 12 segundos, o que resulta em um custo de recuperação estimado em R$ 1.000 a R$1.500.

Em 2008, o Brasil alcançou o quarto lugar mundial na produção de papel, com 12,85 milhões de toneladas. Em média, estudos mostram que o consumo no país é em torno de 6 milhões de toneladas por ano.

As vantagens do uso da tecnologia estão sendo percebidas pelas empresas, instituições e governos que trabalham na substituição dos documentos e processos em papel pelos processos eletrônicos. Desde então grandes empresas já adotaram meios tecnológicos para a gestão de papel. O processo de desmaterialização de documentos que estamos vivendo no Brasil é irreversível. A cada dia, novas aplicações com o uso da certificação digital ajudam a reduzir o uso do papel e a tornar os ambientes de trabalho mais seguros, ágeis
e organizados.

Essa mudança d491247504e cultura não é uma tarefa simples. Mas na avaliação de especialistas do
setor, já entramos no ponto de não-retorno, em que todos enxergam os benefícios do uso da tecnologia. Usuários, empresas e governos comprovam que é mais produtivo e seguro usar documentos eletrônicos em suas rotinas de trabalho.

A conscientização para a redução de desperdícios e a busca por novas tecnologias que auxiliam a redução de papel são algumas das iniciativas tomadas para que se chegue a sustentabilidade. E se a redução do uso de papel é o elemento mais visível nesse processo de desmaterialização proporcionado pelo uso da tecnologia nos processos, é imprescindível destacar os outros benefícios da tecnologia:  como a redução de energia elétrica, de combustível e armazenamento, que ecoam de forma positiva junto a natureza.